Mandato Goura

3º Fórum de Ciclomobilidade coloca Antonina na vanguarda do debate sobre cultura da bicicleta no Brasil

É inegável que Antonina tem uma relação histórica e cultural especial com a bicicleta. Tanto que para 29% dos usuários do modal, ela é o principal meio de transporte na cidade, sendo que 67% destes usam a bicicleta todos os dias, conforme revelou a pesquisa “Antonina: de bicicleta todo dia”, que pode ser conferida abaixo.

 

Essa relação de Antonina com a bicicleta destaca ainda mais a relevância da realização do 3º Fórum de Ciclomobilidade de Antonina. Evento que teve as primeiras edições em 2018 e 2019, e que coloca Antonina como uma referência de vanguarda no debate sobre ciclomobilidade e cicloturismo no Brasil.

 

Antonina na vanguarda do debate

 

A importância deste encontro de pessoas com diversas experiências, expertises e ideias viáveis para o fomento da ciclomobilidade e do cicloturismo em Antonina foi destacada por David Couto, um dos idealizadores e organizadores do evento.

 

“O Fórum destaca e incentiva todos os benefícios que o uso da bicicleta possui, que passam pela sua sustentabilidade e eficiência; pelos benefícios à saúde e ao bem-estar, além das inúmeras possibilidades de geração de renda, emprego e desenvolvimento para os moradores de Antonina e região”, destacou Couto.

 

 

3º Fórum de Ciclomobilidade de Antonina

 

O “3º Fórum de Ciclomobilidade de Antonina”, que aconteceu entre os dias 7 e 9 de dezembro e teve três painéis: A cultura da bicicleta no litoral do Paraná: usos e potencial; Políticas Públicas para a ciclomobilidade e Empreendedorismo e Economia da Bicicleta, no Armazém Macedo. No sábado (10), aconteceu um passeio guiado de cicloturismo, que saiu da Estação Ferroviária de Antonina e seguiu pelos principais pontos turísticos da cidade.

 

O 3º Fórum foi organizado pelo Programa Ciclovida (UFPR), Mandato Goura, Prefeitura de Antonina e com apoio da Associação CicloIguaçu, Ademadan, Grupo Pedalentos e Grande Reserva da Mata Atlântica.

 

Confira a íntegra do segundo painel do 3º Fórum:

 

 

 

Painel Políticas Públicas para a ciclomobilidade

 

O painel sobre Políticas Públicas para a ciclomobilidade contou com a participação do prefeito de Antonina; José Paulo Vieira Azim; do deputado estadual Goura (PDT); do coordenador do Observatório da Bicicleta (ObservaBici) e do GT Pesquisa da União de Ciclistas do Brasil (UCB), André Soares; da pesquisadora Silvana Nakamori do Programa Ciclovida da UFPR; da engenheira Flavia Aline Waydzik, coordenadora executiva do Plano de Mobilidade Urbana da Revisão do Plano Diretor de Antonina realizado pela Fundação de Pesquisas Florestais do Paraná (FUPEF); de Alexandre Lorenzetto da empresa Eco-Contadores Brasil – SACIS e de Junior Ruiz Garcia e do professor de Economia da UFPR e integrante do Grupo de Estudos em MacroEconomia Ecológica da UFPR.

 

Prefeito promete mais infraestrutura cicloviária

 

Em sua intervenção, o prefeito de Antonina, José Paulo Vieira Azim, o Zé Paulo, disse que a bicicleta faz parte do cotidiano da cidade. “O desenvolvimento de Antonina passa pelas soluções de ciclomobilidade. A ciclofaixa da Avenida Thiago Peixoto é o melhor exemplo. Implantar infraestrutura cicloviária traz mais segurança e incentiva o uso da bicicleta. Por isso, vamos ampliar a rede de ciclofaixas e de ciclovias em Antonina”, garantiu.

 

 

O prefeito agradeceu mais uma vez ao deputado Goura, que viabilizou os recursos para a implantação da ciclovia por meio de emenda parlamentar do programa Paraná Mais Cidades. “Agradeço ao Goura pela iniciativa. No início houve resistência, mas a situação mudou e hoje as pessoas defendem. A ciclofaixa deu certo e é uma história de sucesso”, destacou o prefeito.

 

Goura defende mais políticas públicas para a bicicleta

 

O deputado lembrou que esteve na primeira edição do Fórum de Ciclomobilidade em 2018 e na segunda, em 2019. “Parabéns a todos os envolvidos na organização e realização desse fórum. Esse terceiro merece destaque por trazer para o debate as figuras de maior peso da história da bicicleta no Brasil”, afirmou Goura.

 

Ele destacou que a cultura da bicicleta faz parte da história de Antonina e lembrou que essa importância da bicicleta para a cidade ganhou relevância no livro “O Brasil que pedala: a cultura da bicicleta nas cidades pequenas”, da Editora Jaguatirica. – 2018, que revelou o cotidiano das cidades onde mais se usa a bicicleta no Brasil.

 

 

“O livro tem como destaque o capítulo “Antonina: de bicicleta todo dia”, que foi desenvolvido pelo David Couto, José Carlos Belotto e Silvana Nakamori, incansáveis pesquisadores e promotores da bicicleta como meio de transporte e revolução cultural”, exaltou Goura.

 

Goura também disse que são necessárias mais políticas públicas para incentivar e promover o uso da bicicleta como meio de transporte, além do uso para o lazer e esporte. “As conexões urbanas são essenciais para que as pessoas passem a usar mais a bicicleta. Mas as conexões intermunicipais são fundamentais para que o cicloturismo cresça e beneficie a economia local”, alertou.

 

O deputado disse que a Rota Caiçara de Cicloturismo, que interligará os sete municípios do Litoral Paranaense por ciclorrotas, é o melhor exemplo de ação de promoção do cicloturismo para a região. “A Rota caiçara precisa sair do papel. O poder público, Governo do Estado e as prefeituras, precisam investir na infraestrutura, com sinalização e pontos de apoio, além da divulgação da rota”, disse. “Promover a bicicleta deve ser política de Estado.”

 

Apresentações do Painel Políticas Públicas

 

A pesquisadora Silvana Nakamori, do Programa Ciclovida da UFPR, foi a primeira a se apresentar no painel. Ela apresentou alguns dados da sua dissertação de mestrado no Programa de Pós-Graduação em Planejamento e Governança Pública da UTFPR e utilizados no doutorado que faz em Governança Pública.

 

 

Nakamori apresentou dados sobre a pesquisa sobre a legislação relativa à bicicleta que fez em site especializado sobre leis. “Levantei toda a legislação referente à bicicleta, estaduais e municipais, as que têm relação direta e as que não têm”, explicou.

 

Confira a apresentação da pesquisadora:

 

 

 

O coordenador do Observatório da Bicicleta (ObservaBici) e do GT Pesquisa da União de Ciclistas do Brasil (UCB), André Soares, detalhou o trabalho da UCB e a importância do Observatório da Bicicleta na promoção da inclusão da bicicleta nos Planos de Mobilidade Urbana, que são obrigatórios para cidades com mais de 20 mil habitantes, conforme a Política Nacional de Mobilidade Urbana – PNMU (Lei Federal nº 12.587, de 3 de janeiro de 2012, alterada pela Lei nº 14.000, de 2020).

 

 

“A UCB tem o maior banco de dados sobre o tema do Brasil. São trabalhos que envolvem pesquisas, estudos e realização de eventos que cumprem o papel social da UCB na promoção da bicicleta”, destacou Soares. “Ao participar deste 3º Fórum de Ciclomobilidade de Antonina espero ter provocado o interesse para que Antonina se junte as ouras 32 cidades com menos de 20 mil habitantes que têm planos de mobilidade urbana”, disse.

 

Confira a apresentação do coordenador do ObservaBici:

 

 

A engenheira Flavia Aline Waydzik, que integrou a equipe da revisão do Plano Diretor Antonina feito pela FUPEF, apresentou diversos exemplos de ferramentas que podem ser utilizadas na elaboração de políticas públicas para a ciclomobilidade nas cidades.

 

 

“Temos muitas referências para políticas públicas para o uso da bicicleta. Mas muitas vezes o resultado na prática não são os melhores. Quantos não conhecem exemplos de ciclovias, ciclofaixas que têm uma árvore no meio do caminho?”, questionou. Ela afirmou que é preciso que o Poder Público utilize as melhores ferramentas no planejamento de obras de ciclomobilidade. “Levantamento de dados, cruzamento de informações, estudos e observações locais são fundamentais”, disse Flavia.

 

Confira a apresentação da engenheira:

 

 

Alexandre Lorenzetto da empresa Eco-Contadores Brasil – SACIS, que trabalha com sistemas automáticos de quantificação e monitoramento do fluxo de pessoas e bicicletas, apresentou os dados das últimas contagens feitas este ano na ciclovia da Av. Thiago Peixoto em novembro em comparação com a feita em julho.

 

 

“O monitoramento automático e permanente permite a obtenção de informações precisas para o planejamento e a gestão na área da mobilidade ativa, pois podem coletar dados de pedestres e ciclistas”, explicou Lorenzatto, mais conhecido como Sassa. Segundo ele, os equipamentos têm a capacidade de coletar, armazenar e transmitir dados em tempo real e têm baterias que duram até 10 anos.

 

Segundo ele, o uso dessa tecnologia permite que os responsáveis nos governos, em qualquer nível, possam entender, decidir, justificar e estimular o uso da bicicleta. “Contadores podem trazer muitos benefícios para a administração pública na hora de planejar e executar obras de ciclomobilidade, não só nas cidades, mas também nas rotas de cicloturismo”, destacou Sassa.

 

Confira a apresentação do empresário:

 

 

O professor de Economia da UFPR e integrante do Grupo de Estudos em MacroEconomia Ecológica da UFPR, Junior Ruiz Garcia, fez a apresentação mais inusitada da noite no segundo painel do 3º Fórum de Ciclomobilidade de Antonina. Ele começou contado que desde os sete anos de idade é mecânico de bicicletas e que o pai trabalha com bicicletas há 57 anos. “A bicicleta me deu tudo na vida”, disse.

 

Garcia provocou os presentes perguntado como fazer para que as pessoas façam maior uso da bicicleta no dia a dia e até mesmo adotem o modal para ir trabalhar ou estudar. “O uso da bicicleta é comportamental e por isso é muito difícil fazer com que as pessoas mudem hábitos. Muito mais que deixem de usar o carro e usem a bicicleta”, disse.

 

 

“A falta de segurança para pedalar é o maior obstáculo para a maioria das pessoas. E esta falta de segurança é diretamente proporcional a falta de infraestrutura cicloviária adequada. Existem outros fatores que impedem, como a questão econômica, mas a segurança é a mais relevante”, disse.

 

Confira a apresentação do professor:

 

 

Estavam presentes no 3º Fórum

 

Estavam presentes no evento representando a Prefeitura de Morretes, a secretária de Meio Ambiente, Turismo, Cultura e Urbanismo, Jandaíra Moscal; o superintendente Lucas Galdino; a diretora de Turismo, Allana Cristina Araújo e Luiza Dittert, diretora de Urbanismo. O vereador de Antonina Hélio de Freitas Castro (PSL); o superintendente de Fomento e Incentivo ao Turismo da Prefeitura de Paranaguá, Jafar Omar El Tassi; o secretário de Comunicação de Antonina, Marcelo Vieira Gomes e Canduca Machado, ex-prefeito de Antonina.

 

Facebook
Twitter
LinkedIn
WhatsApp

Get Curated Post Updates!

Sign up for my newsletter to see new photos, tips, and blog posts.

Subscribe to My Newsletter

Subscribe to my weekly newsletter. I don’t send any spam email ever!

Pular para o conteúdo