Mandato Goura

5 de junho, Dia Mundial do Meio Ambiente: nada a comemorar e muito a lutar

“Hoje é celebrado o Dia Mundial do Meio Ambiente, que foi criado pela Assembleia Geral das Nações Unidas, em 15 de dezembro de 1972. Desde então, todos os anos, neste dia, relembramos a necessidade da preservação do meio ambiente. Infelizmente não há o que comemorar”, alertou o deputado estadual Goura (PDT-PR), nesta sexta-feira, dia 5 de junho.

“Hoje temos governos cuja orientação não tem compromisso com políticas ambientais sérias e efetivas. O desmonte da legislação ambiental e o enfraquecimento dos órgãos ambientais são prática comum”, criticou.

Confira abaixo o vídeo com o discurso sobre o Dia Mundial do Meio Ambiente:

Ele disse que, para aqueles que agora estão no governo, a preservação e fiscalização ambiental são considerados problemas. “E, para eles, os defensores do meio ambiente são inimigos a serem derrotados”, comentou.

Goura lembrou um levantamento da Global Witness que aponta que de 2002 até 2019 foram pelo menos 653 execuções de ambientalistas no Brasil. “O país é o quarto país do mundo com a maior quantidade de assassinatos.”

Desmatamento

O deputado lembrou que Paraná é o terceiro estado com maior índice de desmatamento de Mata Atlântica no país, com um aumento de 35% neste período, segundo o Atlas da Mata Atlântica, divulgado no final de março, pela Fundação SOS Mata Atlântica e INPE.

Leia a matéria e baixe o Atlas da Mata Atlântica clicando na foto abaixo:

“A Mata Atlântica perdeu 29 hectares por dia em 2019, no Paraná. Hoje, o estado tem 10% da área original da Mata Atlântica, que já cobriu mais de 90% do nosso território”, alertou Goura.

Araucária em extinção

“O mesmo se dá com outro remanescente florestal no estado. A Floresta de Araucária continua sem política pública de preservação e está ameaçada de extinção. Resta 0,8% de floresta com araucárias e 0,1% de campos naturais no Paraná. E tais remanescentes continuam a ser devastados.”

Assista ao vídeo sobre a araucária abaixo:

Goura disse que as unidades de conservação, os parques estaduais, não recebem a devida proteção e investimentos para a sua manutenção e que o mesmo acontece com os nacionais.

“No passado recente, se ameaçou uma redução de 70% da APA da Escarpa Devoniana, nos Campos Gerais, e se apoiou a reabertura da estrada do Colono, no Parque Nacional do Iguaçu. Ambas as tentativas foram frustradas”, explicou.

Veja, abaixo, o vídeo sobre o sobrevoo no qual se constatou que a Estrada do Colono não existe mais:

Mas o deputado, disse que as ameaças às unidades de conservação continuam, ou por omissão na fiscalização, ou por falta de investimentos e de pessoal para a sua manutenção. ‘Ainda assim, querem a flexibilização das atividades nessas áreas tão importantes para a conservação da biodiversidade”, alertou.

Muitos problemas

Goura disse que a falta de políticas públicas ambientais acaba por prejudicar não só ao meio ambiente, mas toda a sociedade. “Falta saneamento básico, de gestão correta dos resíduos sólidos e do uso e reuso da água também são problemas ambientais”, disse.

Ele disse que todos somos obrigados a consumir, todos os dias, água contaminada por agrotóxicos. “Uma calamidade pública que afeta a saúde de milhões de pessoas e envenena animais, plantas e o solo.”

Goura também lembrou da estiagem que aflige o Paraná e cria um problema grave de falta de água para o abastecimento da população e para as atividades econômicas.

O mandato Goura produziu um vídeo sobre o problema da falta de água, confira abaixo:

“Este é um problema que poderia ter sido evitado ou ao menos minimizado se a legislação e a fiscalização ambiental tivessem sido cumpridas. Com a preservação das florestas, das matas ciliares e das nascentes, os rios e mananciais estariam em melhores condições”, afirmou.

Segundo ele, as represas da Sanepar, em Piraquara, são prova disso. Mesmo com 10 meses de pouquíssima chuva, que também é consequência do desmatamento na Amazônia, estão com seus níveis de água superiores da 90%.

Litoral ameaçado

Goura disse que outra prova de que não se dá a necessária importância à preservação ambiental são as propostas de construção do Porto de Pontal e da Faixa De Infraestrutura, no Litoral do estado. “Com o agravante de que vão utilizar recursos públicos para financiar empreendimentos privados em valores superiores a R$ 300 milhões.”

Assista, abaixo, o pronunciamento do deputado criticando a construção da Faixa de Infraestrutura:

“Serão ao menos 140 impactos ambientais, sociais e econômicos negativos, com a construção de uma estrada de 24 quilômetros em uma das áreas mais preservadas da Mata Atlântica no Brasil”, disse.

“Nosso Litoral tem uma vocação para o turismo sustentável como poucos lugares no mundo o têm. É um litoral pequeno, mas muito rico em atrativos naturais que despertam a curiosidade do mundo por sua beleza e exclusividade”, destacou.

Confira, no vídeo abaixo, a crítica ao corte ilegal da restinga no nosso Litoral:

Desconexão com a natureza

O deputado chamou a atenção para a desconexão com a natureza que muitos fazem questão de promover no atual momento no Brasil.

“Não podemos perder nossos vínculos com o meio ambiente. Temos que preservar e conservar nossas riquezas naturais. A crise do novo coronavírus está aí para provar que se não fizermos nada, se não agirmos a partir de agora, nosso futuro como sociedade e civilização está fatalmente comprometido,” denunciou Goura.

“Está em nossas mãos mudarmos essa realidade. Viva o Dia Mundial do Meio Ambiente.”

Facebook
Twitter
LinkedIn
WhatsApp

Get Curated Post Updates!

Sign up for my newsletter to see new photos, tips, and blog posts.

Subscribe to My Newsletter

Subscribe to my weekly newsletter. I don’t send any spam email ever!

Pular para o conteúdo