Os vereadores Goura e Professora Josete redigiram uma nota de desagravo público para denunciar o clima de desencanto e descrédito da população em relação às instituições públicas do país e à onda de violência e de desrespeitos flagrantes aos direitos fundamentais de toda cidadã e de todo cidadão brasileiro.

 

Os vereadores lembram dos casos recentes dessas violações de direitos citando os casos do assassinato da vereadora Marielle Franco, no Rio de Janeiro, que completou seis meses, da advogada Valéria Lucia dos Santos, que foi algemada e detida, em Duque de Caxias (RJ) e do advogado Renato Almeida Freitas, candidato a deputado estadual pelo Partido dos Trabalhadores (PT-PR), que foi atingido por balas de borracha e levado preso pela Guarda Municipal, enquanto fazia panfletagem na praça do gaúcho, no bairro São Francisco, em Curitiba, no dia 9 de setembro.

 

Sobre esse caso do advogado Freitas os dois vereadores destacaram a forma arbitrária, preconceituosa e desrespeitosa aos direitos e garanti as individuais dos cidadãos e cidadãs de Curitiba do prefeito Rafael Greca de Macedo ao defender a atuação da Guarda Municipal (GM), quando afirmou que Freitas “é reincidente em atos de desacato e de perturbação do sossego”, mesmo antes de qualquer esclarecimento das autoridades policiais.

 

Os vereadores questionaram o prefeito e sua assessoria informando que a prisão anterior de Renato pela Guarda Municipal foi, também, arbitrária e violenta, e que gerou uma sindicância e processo administrativo para apurar responsabilidades.

 

“Não podemos admiti r que o chefe do poder executivo de Curitiba, sem se inteirar dos fatos, elogie uma ação violenta contra um jovem curitibano, independentemente de sua cor e classe social. Não toleramos o arbítrio, o preconceito e o desrespeito aos direitos e garantias individuais dos cidadãos e cidadãs de Curitiba”, afirmam os vereadores na nota de desagravo.

 

Leia a íntegra aqui

 

 

 

 

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here