Publicado há 3 meses

Dois dias imersos em meio a natureza para plantar mais de mil mudas de araucárias. Esse foi o final de semana do Mandato Goura e de muitos voluntários que aderiram à ação nos municípios de Itaperuçu e Piraquara, na Região Metropolitana de Curitiba (RMC).

 

Todo ano, o Mandato Goura promove o plantio de espécies nativas para ajudar na recuperação das florestas e como uma forma de compensar a emissão de carbono gerada pelas ações do mandato.

 

Este ano, a ação contou com a parceria do Canal Aventura, do Viveiro Porto Amazonas, que doou as mudas, e de dezenas de voluntários que contribuíram para que a missão fosse concluída no sábado (21) e no domingo (22).

 

O objetivo da ação, de acordo com deputado Goura (PDT), que preside a Comissão de Ecologia, Meio Ambiente e Proteção aos Animais da Assembleia Legislativa do Paraná, é que todo mundo se conscientize e se sensibilize sobre a importância de cuidar melhor da natureza e da importância do reflorestamento para o combate à crise hídrica.

 

“O relatório da ONU, do IPCC (Painel Intergovernamental sobre Mudança Climática), que foi lançado essa semana, mostrou que nós estamos em plena emergência climática e que não há mais tempo para postergações e protelações. Precisamos agir com urgência, cobrar dos políticos as políticas públicas, mas também nós, individualmente, temos que fazer o que nos compete”, afirmou Goura.

 

 

O novo relatório do IPCC afirma que até o fim do Século 21 poderá ocorrer um aquecimento global acima de 1,5 C e 2 C, a menos que haja reduções profundas nas emissões= de CO2 e outros gases de efeito estufa nas próximas décadas. Leia mais sobre o relatório do IPCC aqui.

 

Itaperuçu

 

No sábado (21), a ação foi em Itaperuçu, município que integra o Vale do Ribeira. O plantio foi realizado em um terreno montanhoso a 830 metros de altitude.

 

Ao todo, 22 pessoas participaram do primeiro dia do mutirão, que plantou 500 mudas de araucária na região. Devido ao terreno íngreme, a ação exigiu grande esforço dos voluntários. Mas, o resultado foi compensador.

 

 

Uma dose de esperança no mundo

 

O estudante de Direito, Carlos Eduardo Weiss, de 18 anos, ficou sabendo da ação através de uma lista de transmissão e das redes sociais do Mandato Goura e não pensou duas vezes ao decidir participar.

 

“Eu sempre gostei muito de colocar a mão na massa e questões ambientais sempre me chamaram muito a atenção. E por acreditar que a política é a teoria e a prática, quis me juntar ao mutirão porque sei que toda ajuda é bem-vinda”, ressaltou Carlos Eduardo.

 

A experiência, segundo o estudante, foi enriquecedora. “É muito importante essa aproximação da população com a natureza e também um incentivo. Dizem que todo mundo deve plantar pelo menos uma árvore na vida. Acho também que é uma dose de esperança no mundo. Pequenas atitudes somadas em conjunto podem fazer a mudança”, frisou.

 

 

Piraquara

 

No domingo (22), em Piraquara, o plantio foi realizado na Fazenda das Araucárias, no espaço Canal Aventura. Mais de 50 pessoas participaram da ação. Muitos, inclusive o deputado Goura, aproveitaram o domingo de sol para fazer o trajeto de Curitiba a Piraquara de bike.

 

A geógrafa Débora Albuquerque explica que ações de recuperação e de adensamento de matas são extremamente importantes.

 

“Seria muito bom que todas as pessoas tirassem um dia para fazer isso. Além de ser extremamente prazeroso, estar no meio da natureza é importante porque estamos em meio a uma crise hídrica e a gente precisa plantar árvores. Porque as árvores fazem todo o complemento do ciclo hidrológico”, ressaltou.

 

O voluntário Paulo Jamur falou da felicidade em estar participando da ação. “Hoje plantamos araucárias e estamos nos sentindo parte integrante da natureza. É importante essa consciência ecológica de cuidar disso, que é a nossa subsistência”, afirmou.

 

Além de jovens e adultos, a ação contou com a participação de muitas crianças, que aprenderam desde cedo a importância de cuidar da mãe natureza.

 

 

Araucárias (Araucaria angustifólia)

 

Também conhecida como pinheiro-brasileiro ou pinheiro-do-paraná, a araucária é uma planta que está em risco crítico de extinção e, por isso, tem seu corte proibido.

 

A espécie é nativa da região Sul, mas pode ser encontrada também na região Sudeste. É típica das regiões mais altas.

 

“Em regiões acima de 500, 600 metros de altitude ela desenvolve melhor. Você até consegue ver algumas em regiões do litoral, mas ela não desenvolve, fica com uma estatura menor porque o clima e as condições não são favoráveis”, explicou o engenheiro ambiental e chefe de gabinete do Mandato Goura, Ivo Reck.

 

Espécie arbórea dominante da floresta ombrófila mista, em condições normais, uma araucária pode atingir até 50 metros de altura e um diâmetro de tronco de 2,5 metros e levam de 15 a 20 anos para iniciar a produção de pinhão.

Segundo estimativas, restam apenas 5% da extensão original, incluindo florestas exploradas e matas em regeneração. Da área original, menos de 1% guarda as características da floresta primitiva, ou seja, foi pouco ou nunca explorada.