O líder do PDT na Assembleia Legislativa do Paraná, deputado estadual Goura, manifestou total apoio aos professores e professoras da Educação Pública do Paraná que protestam contra a realização de provas presenciais para o Processo Seletivo Simplificado (PSS). O parlamentar solicitou ao governador Ratinho Junior e ao secretário-chefe da Casa Civil, Guto Silva, que revejam a decisão.

“É um absurdo a gente ter provas presenciais em plena pandemia, um procedimento que nunca foi realizado. Queremos que os profissionais PSS sejam respeitados e que a gente tenha concursos públicos para professores e professoras no Estado do Paraná. Mas enquanto isso pedimos ao governador Ratinho Junior e ao secretário-chefe da Casa Civil, Guto Silva, que recebam os professores e que a gente tenha um desfecho positivo para essa questão”, ressaltou Goura ao assinar a carta compromisso com a APP-Sindicato.

Conforme informações divulgadas pela APP-Sindicato, o edital 47/2020, prevendo a realização do Processo Seletivo Simplificado (PSS) para a contratação temporária de professores para o ano de 2021, foi publicado pela Secretaria de Educação do Paraná (Seed) no dia 29 de outubro.

Segundo a APP Sindicato, o processo deve movimentar mais de 90 mil candidatos e candidatas, conforme média anual de inscritos no PSS, em regiões que mantém altos índices de contaminação pela COVID-19.  Ainda segundo a APP, não se justifica a organização de um processo nos moldes de um concurso público para a contratação de professores temporários “com um investimento que de antemão custará aos cofres públicos cerca de R$ 3,5 milhões sem licitação”.