O anúncio do início de obras de alargamento da pista na Avenida Victor Ferreira do Amaral, entre as ruas Brasílio de Lara e Pastor Manoel Virgínio de Souza, no Bairro Tarumã, em Curitiba, trouxe preocupação ao deputado Goura para a possibilidade de corte de árvores do canteiro central naquele trecho.

Por isso, como presidente da Comissão de Ecologia, Meio Ambiente e Proteção aos Animais da Assembleia Legislativa, ele pediu informações à Prefeitura de Curitiba, ao Ministério Público do Paraná e ao Instituto Água e Terra sobre estudos e autorizações ambientais que justifiquem eventual supressão de vegetação no local.

Este slideshow necessita de JavaScript.

Prefeitura

Foi encaminhado ofício ao prefeito Rafael Greca de Macedo pedindo informações sobre quais estudos técnicos urbanísticos e ambientais realizados; se há autorização ambiental emitida para supressão vegetal das árvores no local; sobre quais serão as medidas mitigadoras e compensatórias; sobre quais serão as medidas adotadas para evitar alagamentos e garantir a drenagem e sustentabilidade hídrica do local e se será feita a requalificação das calçadas e ciclovias na região.

Ministério Público

Ao promotor Alberto Vellozo Machado, coordenador do Centros de Apoio Operacional das Promotorias de Justiça para Meio Ambiente e Habitação e Urbanismo (CPPMA) do MP-PR foi enviado ofício questionando se existe autorização ambiental para supressão das árvores, com a necessária justificativa técnica urbanística-ambiental e se há informação sobre as devidas medidas mitigadoras e compensatórias que apareceriam em um Estudo de Impacto Ambiental e/ou um Estudo de Impacto de Vizinhança. Também sobre a necessidade de requalificação das calçadas e ciclovias, bem como de estudo de permeabilidade de solo.

Instituto Água e Terra

Ao Presidente do Instituto Água e Terra, Everton Luiz da Costa Souza, também foi encaminhado ofício perguntando sobre se há estudo técnico ambiental que subsidiou a decisão da prefeitura; sobre qual foi a autorização ambiental emitida para supressão vegetal das árvores presentes no local; sobre quais serão as medidas mitigadoras e compensatórias adotadas pela prefeitura e sobre quais medidas serão adotadas para evitar alagamentos e garantir a drenagem e sustentabilidade hídrica do local.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here