Mandato Goura

Goura solicita que Capitania dos Portos intensifique fiscalização do tráfego aquaviário no Litoral do Paraná

A pedido de moradores da Ilha das Peças, localizada na Baía de Guaraqueçaba, no Paraná, o deputado Goura (PDT) encaminhou ofício ao capitão dos portos do Paraná, André Luiz Moraes de Vasconcelos, da Capitania dos Portos do Paraná (CPPR), solicitando a fiscalização de embarcações particulares no Litoral do Paraná.

 

Conforme os moradores da região, o alto fluxo de iates, lanchas, motos aquáticas (jet-ski) e outros tipos de embarcações têm despertado apreensão por causa do risco que o trânsito irregular, em especial a alta velocidade das motos aquáticas, oferece aos banhistas, pescadores locais e à fauna local.

 

A preocupação é maior porque na Ilha das Peças as praias são frequentadas por espécies de botos, tartarugas e arraias, que são animais ameaçados de extinção.

 

“Tal preocupação é intensificada em ralação às proximidades das ilhas paranaenses, Ilha das Peças, Superagui e Ilha do Mel, sobretudo por se tratar de ambientes de maior vulnerabilidade ambiental e áreas de proteção permanente”, ressaltou Goura.

 

O deputado é o presidente da Comissão de Ecologia, Meio Ambiente e Proteção aos Animais da Assembleia Legislativa do Paraná e assina o documento encaminhado à Capitania dos Portos do Paraná.

 

Ainda, conforme relatou no ofício 78/2001, de 8 de junho de 2021, a região é berçário e área de cuidado parental dos botos-cinza, espécie de golfinhos também ameaçada de extinção.

 

“Uma das principais ameaças à conservação da espécie é a poluição sonora causada pelas atividades náuticas e mesmo o risco de colisões com embarcações e motos aquáticas”, informa o Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade no Plano de Ação Nacional para Conservação de Espécies Ameaçadas de Extinção 2020.

 

No Brasil há portarias e leis que protegem os golfinhos quanto a qualquer tipo de molestamento, incluindo a pressão intencional causada por embarcações em áreas de alimentação e reprodução das espécies.

 

Leia a íntegra do ofício encaminhado à Capitania dos Portos clicando na imagem abaixo.

 

 

Fiscalização 2020/2021

 

De acordo com material divulgado no site da Capitania dos Portos do Paraná, a Operação Verão 2020/2021, realizada de 14 de dezembro de 2020 a 16 e março de 2021, abordou 4.283 embarcações para ações de inspeção naval.

 

O objetivo da operação é “orientar e fiscalizar os condutores com relação a habilitação, conferir a regularidade da documentação de registro das embarcações e verificar a existência e validade de itens de segurança e salvatagem, como extintores de incêndio, coletes salva-vidas, boias, luzes de navegação e outros itens”.

 

A maioria das abordagens, cerca de 65%, de acordo com a publicação, foi realizada em embarcações de esporte e recreio, como botes, lanchas e motos aquáticas. Porém, a publicação não cita os locais específicos em que a fiscalização foi realizada.

 

Denúncias

 

Mas a Capitania dos Portos alerta para a importância da fiscalização feita pelo próprio cidadão.  “Ao verificar irregularidades com embarcações, como manobras perigosas; falta de itens de segurança; condutores alcoolizados; e problemas com coletes salva-vidas ou na habilitação dos condutores solicita-se que a CPPR seja acionada de imediato através do Disque-Segurança da Navegação no (41) 3721-1542. As informações podem ser encaminhadas ainda por e-mail no cppr.faleconosco@marinha.mil.br”.

 

A Marinha do Brasil também disponibiliza o telefone 185 para emergências náuticas.

 

Proteção da vida marinha

 

Sobre a proteção da vida marinha, Goura destacou a importância do trabalho desenvolvido pelo Laboratório de Ecologia e Conservação (LEC) do Centro de Estudos do Mar (CEM) da Universidade Federal do Paraná (UFPR), que coordena e executa ações de pesquisa, monitoramento e resgate de animais da fauna marinha no Litoral do Paraná.

 

Para o presidente da Comissão de Meio Ambiente é preciso sair da inação e mobilizar atores públicos, privados e da sociedade civil organizada em ações que encontrem soluções e revertam os danos ambientais.

 

“O LEC/UFPR é um exemplo dessa ação fundamental para a preservação que faz uso da ciência que permite compreender as mudanças que estão ocorrendo no oceano e desenvolver soluções sustentáveis”, disse Goura.

 

O CEM também disponibiliza um canal para quem encontrar animais vivos ou mortos no litoral paranaense. É o 0800 642 3341.

 

Como reconhecimento desse trabalho, no início de 2021, Goura entregou Menção Honrosa, aprovada por unanimidade pela Assembleia Legislativa do Paraná (Alep), para a coordenadora do LEC/UFPR, Camila Domit.

 

Leia matéria abaixo.

“É urgente ter consciência e agir pela proteção dos nossos oceanos”, diz Goura ao entregar menção honrosa ao Laboratório de Ecologia e Conservação da UFPR

 

 

 

Facebook
Twitter
LinkedIn
WhatsApp

Get Curated Post Updates!

Sign up for my newsletter to see new photos, tips, and blog posts.

Subscribe to My Newsletter

Subscribe to my weekly newsletter. I don’t send any spam email ever!

Pular para o conteúdo