O deputado estadual Goura (PDT) se reuniu, nesta quinta-feira (6), com a prefeita de Rio Branco do Sul, Karime Fayad. Entre os assuntos discutidos destacam-se a criação de um Parque Municipal na área que abriga a Gruta da Lancinha, considerada o maior tesouro espeleológico do Paraná; a poluição causada pelas mineradoras, que pode estar afetando a saúde da população e gerando impactos ambientais, e a necessidade de políticas integradas para a Região Metropolitana de Curitiba (RMC).

 

Localizado a 30 km de Curitiba, na Região do Vale do Ribeira, o município de Rio Branco do Sul tem grande potencial para o turismo de natureza e para o cicloturismo. Porém, tem sofrido com a falta de políticas públicas integradas que proporcionem o desenvolvimento da região.

 

O deputado Goura, desde o início do mandato, vem dando atenção especial aos municípios da Região do Vale do Ribeira apoiando ações que fomentem o desenvolvimento sustentável com base no turismo de natureza, agroecologia, cicloturismo e fortalecimento do potencial cultural das comunidades tradicionais e quilombolas.

 

“A Região do Vale do Ribeira como um todo merece atenção do poder público estadual e nós nos colocamos à disposição da prefeitura de Rio Branco para colaborar no que for necessário, principalmente no que diz respeito à questão ambiental que vem preocupando a administração municipal e toda a população”, afirmou o deputado Goura que preside a Comissão de Ecologia, Meio Ambiente e Proteção aos Animais da Assembleia Legislativa do Paraná.

 

 

Parque Municipal da Gruta da Lancinha

 

Tombada pelo Patrimônio Histórico do Estado desde 1988, a Gruta da Lancinha possui cerca de dois quilômetros de extensão total e é a segunda maior caverna do Paraná. Nela foram registradas 75 espécies únicas, o que a torna a 2ª em diversidade biológica do Brasil.

 

Pensando nesse potencial, a prefeitura criou uma comissão com representantes de diversos segmentos para estudos, grupo de trabalho e ações que visam elaborar o plano de manejo da Gruta da Lancinha.

 

A gruta encontra-se praticamente dentro do perímetro urbano de Rio Banco do Sul e é considerada o maior tesouro espeleológico do Estado do Paraná. Ela está localizada dentro de uma propriedade particular e desde 2006 tornou-se uma área em proteção ambiental permanente depois da criação do “Monumento Natural da Gruta da Lancinha”.

 

O diretor do Departamento de Turismo, Maurício José Antoniacomi, acompanhou Goura na visita à Gruta da Lancinha e afirmou que o projeto de criação do Parque Municipal prevê que todas as ciclorrotas sejam interligadas e passem pela Gruta e ressaltou a importância da parceria com o Mandato Goura.

 

“O Deputado Goura se destaca por ser um defensor de questões ambientais e do turismo em seus mais diversos segmentos, principalmente do pedal e de aventura. Rio Branco do Sul é privilegiado de áreas naturais com uma riqueza ímpar! O mandato do Deputado Goura pode colaborar para dar visibilidade as questões ambientais, naturais e turísticas do município sendo um parceiro político para defender e atuar nesta proposta”, afirmou.

 

 

 

Poluição das mineradoras

 

Outro ponto de discussão entre a prefeita Karime e o deputado Goura foi a poluição causada pela fábrica de cimento da Votorantim, a maior da América Latina, e que foi instalada no município ainda na década de 50.

 

Conforme explicou o secretário de Meio Ambiente, Denilson Mendes dos Santos, a fábrica de cimento da Votorantim constantemente tem problemas com o filtro do forno 8.

 

“É visível um lançamento de partículas na atmosfera em grande proporção que gera grandes indagações sobre a desproporcional ocorrência de doenças respiratórias na população de Rio Branco do Sul”, explicou.

 

Diante da situação, a prefeitura vai conduzir um estudo em conjunto com a UTFPR visando mensurar a concentração de partículas sólidas em suspensão na atmosfera de Rio Branco do Sul, identificar quais bairros sofrem maior concentração e cruzar esses dados com a incidência de doenças respiratórias.

 

“Dessa forma podem ser realizadas propostas de minimização dos danos ambientais ou compensações”, observou Denilson dos Santos.

 

Goura afirmou que a situação relatada pela prefeitura é preocupante e requer medidas urgentes de fiscalização, uma vez que se trata da saúde da polução.

 

Contaminação das nascentes e do solo

 

“A prefeita Karime nos relatou problemas ambientais relacionados à preservação de nascentes e captação de água de abastecimento e também a falta de investimento da empresa Votorantim na infraestrutura da cidade, como na pavimentação das ruas, que são destruídas devido ao grande tráfego de caminhões”, acrescentou Goura.

 

Sobre os impactos das atividades da cimenteira no meio ambiente, o secretário Denilson afirmou que um outro convênio está sendo viabilizado para avaliar o grau de contaminação da água e do solo.

 

Em vídeo publicado recentemente nas redes sociais, o Jornal Expresso mostrou um alagamento em frente a empresa com resíduo de carvão e mau cheiro. Segundo o jornal, o alagamento é comum sempre que chove e tem causado prejuízos ambientais e materiais.

 

O vídeo pode ser acessado aqui.

 

Dívidas e falta de integração

 

Outro ponto destacado pela prefeita Karime Fayad, foi a situação financeira herdada pela gestão anterior e a falta de políticas públicas integradas com a Região Metropolitana.

“Ficamos com uma dívida da última gestão, o que tem gerado grandes desafios logo no início da nossa administração”, afirmou.

Nesse sentindo, foi discutido a possibilidade de apresentação de emendas para projetos do Paraná+Cidades e a criação de Reservas Particulares de Patrimônios Naturais (RPPNs) e arrecadação de ICMS Ecológico.

Sobre a integração da Região Metropolitana, Goura tem defendido a criação de uma efetiva política de coordenação para o desenvolvimento regional da Grande Curitiba. “Precisamos investir em todas as áreas, desde mobilidade, habitação, abastecimento, agricultura, saúde, emprego e renda. Somos uma metrópole e precisamos promover essa integração regional”, afirmou.