A Semana Ângelo Kretã de luta pelos direitos dos povos indígenas agora é Lei. A partir de 2021 a primeira semana do mês de abril será destinada a homenagear a memória de Ângelo Kretã, uma das mais importantes lideranças indígenas do País, que dedicou sua vida à luta pelos direitos dos povos indígenas. A Lei n. º 20.359, de autoria do deputado estadual Goura (PDT), foi publicada no Diário Oficinal do dia 27 de outubro de 2020.

Conforme o texto sancionado, durante a semana Ângelo Kretã poderão ser promovidos debates, palestras, cursos e outras atividades culturais e de comunicação social para resgatar a história de luta pelos direitos indígenas no Paraná. Todas as atividades têm como objetivo valorizar a presença e a importância dos povos indígenas na formação do estado.

Clique na imagem abaixo para ter acesso a Lei Ângelo Kretã.

“Essa Lei é mais que uma homenagem a Ângelo Kretã, é uma forma de reconhecer a importância da luta dos povos indígenas que é uma das lutas políticas mais legítimas do país. A vida de Ângelo Kretã não foi em vã. Ele segue inspirando a luta pelo direito à terra e ao respeito aos povos da floresta”, afirmou Goura.

Ângelo Kretã é considerado a maior liderança indígena do Sul do país.  Vivia na Aldeia Mangueirinha, no Sudoeste do Paraná. Foi eleito em 1976, em plena ditadura, o primeiro vereador indígena pelo Movimento Democrático Brasileiro (MDB), o que lhe garantiu projeção nacional.

Em 1980, Kretã sofreu um ‘acidente de carro” em uma estrada perto de sua aldeia. Sua morte causou comoção nacional e a convicção das lideranças indígenas de que ele foi vítima de uma emboscada, pois se tornou conhecido em todo o Brasil e contrariou muitos interesses ao defender como parlamentar o que é de direito aos povos originários do Brasil, especialmente a demarcação de terras.

Lei mais sobre a história de Ângelo Kretã em matéria publicada aqui no site do Mandato Goura.