Salto do Parati e revoada dos guarás são atrações da Baía de Guaratuba

A baía de Guaratuba, no Litoral Paranaense, tem potencialidades incríveis para o turismo e desenvolvimento econômico sustentáveis, com inúmeras atrações que incluem gastronomia, caminhadas em trilhas, observação de aves e outras atividades de turismo de natureza e aventura.

Em visita recente à Baía de Guaratuba, o deputado estadual Goura (PDT) visitou duas dessas atrações que se enquadram nas modalidades de Turismo de Base Comunitária (TBC) e Ecoturismo: o Salto do Parati e a revoada dos guarás. “

“São dois exemplos de turismo de base comunitária que podem fomentar o desenvolvimento econômico e social das comunidades de maneira sustentável e com respeito à natureza”, disse Goura.

Segundo ele, promover o turismo de base comunitária, a pesca artesanal, a maricultura, a formação profissional e educação ambiental são algumas das ações que devem ser apoiadas com políticas públicas por parte dos governos municipais, estadual e federal.

“Essas atividades devem ser reguladas e apoiadas pelo poder público em parcerias com as comunidades, associações, entidades e iniciativa privada. Por isso, políticas públicas nas áreas do turismo sustentável e desenvolvimento socioeconômico são fundamentais”, afirmou Goura.

O deputado fez a visita ao Salto do Parati e à revoada dos guarás durante uma tarde saindo do trapiche do porto do Centro Histórico de Guaratuba. “São trajetos fáceis de fazer, mas é preciso que sejam feitos com o auxílio de guias especializados e relacionados às comunidade locais”, alertou Goura.

Salto do Parati

Existem duas formas de se chegar à Comunidade do Parati e acessar o salto no Rio Parati. Uma é feita de barco, num trajeto de cerca de 30 minutos, cortando a Baía de Guaratuba. No caminho podem-se observar diversas aves, os cultivos de ostras e pescadores artesanais, além dos manguezais. O Salto do Parati está dentro do Parque Nacional de Saint-Hilaire/Lange.

Outra forma de se chegar ao salto é a pé pelo “Caminho Novo do Cambará”, que também é conhecido como “Estrada do Parati”, que liga a PR 508 à Comunidade do Parati, na divisa entre os municípios de Guaratuba e Matinhos. São cerca de 7 quilômetros de uma caminhada de média dificuldade.

De barco, chega-se ao porto da comunidade e a partir desse ponto são cerca de 30 a 40 minutos de caminhada, considerada de dificuldade baixa, até o Salto do Parati. É necessário agendar com o serviço de barco do Rodrigo Rocha “Cascão”.

Na comunidade é possível fazer refeições e pernoitar, mas é necessário agendar previamente. O serviço é prestado pelo Mauro Sergio Kaliberda e família que são donos da pousada Sítio Dona Antônia.

SERVIÇO:

Pousada Sítio Dona Antonia

Contato Mauro: (41) 99770-8727

https://www.instagram.com/maurosergiokaliberda/

Barco Guia Guaratuba

Rodrigo Rocha Cascão (41) 99693-4486

Aluguel de Lancha para 10 pessoas

https://www.instagram.com/rodrigorocha_cascao/

Revoada dos Guarás

A revoada dos guarás na Baía de Guaratuba é um dos espetáculos mais extraordinários da natureza por sua beleza e plasticidade. O evento só pode ser apreciado ao final do dia, pouco antes do pôr do sol, quando os guarás (Eudocimus ruber), aos bandos, com suas cores vermelho vivo, voam para as ilhas no meio da baía para se aninharem para passar a noite.

O guará tem uma grande importância para a preservação do ecossistema manguezal e é a ave símbolo do Litoral Paranaense. Guaratuba e Guaraqueçaba têm seus nomes de origem indígena relacionados aos guarás: Guaratuba significa “terra de muitos guarás” e Guaraqueçaba “lugar do Guará”.

Extinção e retorno

“O guará chegou a ser considerado extinto no Paraná por cerca de 80 anos e só voltou a ser observado recentemente, a partir de 2008”, contou Edgar Fernandez, pesquisador e integrante do Instituto Guaju e da Agência de Turismo Comunitário (ATC), gerida pelo instituto.

Segundo ele, o retorno das aves ao Paraná foi monitorado por diversas atividades de educação ambiental do Instituto Guaju, que trabalha em parceria com Instituto Água e Terra (IAT)e Universidade federal do Paraná (UFPR).

Campanha

O Instituto Guaju e o IAT mantêm uma campanha para orientar população a respeitar distância dos bandos de guarás e garantir o sossego de que as aves necessitam e não provocar revoadas depois que eles chegam aos locais que fazem o pernoite.

“Queremos que as embarcações que passam pelo local que respeitem os guarás e não estressem e afugentem as aves”, explicou Edgar. “Colocamos cartazes nas marinas com dicas para não provocar a revoada, não fazer barulho ou se aproximar. Recomendamos manter uma distância mínima de 150 metros.”

SERVIÇO:

Revoada dos Guarás na baía de Guaratuba

Instituto Guaju – Agência de Turismo Comunitário (ATC)

Rua Dario Soares Alves, S/N, anexo salão comunitário de caieiras, Bairro Caieiras, Guaratuba, PR

(41) 99789-0984

institutoguaju@gmail.com

institutoguaju.org.br

https://www.instagram.com/institutoguaju2008/

https://www.facebook.com/guajuguaratuba/

Edgar Fernandez

(41) 99789-0984

https://www.instagram.com/edgar_fernandez_caieiras