“Não basta se pintar de azul ou verde e sair dizendo que somos sustentáveis. É necessário ação”, afirmou Goura, em fala sobre o Dia Mundial da Água

Neste Dia Mundial da Água, data instituída pela ONU, em 22 de março de 1992, que visa à conscientização da população sobre a importância da água para a vida no planeta, o deputado estadual Goura (PDT) pediu, durante seu pronunciamento, nesta quarta-feira (22), no Plenário da Assembleia Legislativa do Paraná (Alep), que se faça uma reflexão crítica sobre o significado dessa data comemorativa.

“É um dia importante de debate, de conscientização, mas, acima de tudo, também é um dia para a gente exercer uma visão crítica. Não basta se pintar de azul ou de verde e sair dizendo por aí que somos sustentáveis. É necessário ação”, afirmou Goura. “São necessárias políticas públicas.”

O deputado lembrou que a Assembleia aprovou, na legislatura passada, o Projeto de Lei 615/2020, que foi sancionado como a Lei 20.448/2020, que dispõe sobre o uso responsável de água e propõe ações que para evitar o desperdício da água potável ou a sua má utilização.

“Aprovamos, juntamente com o deputado estadual Evandro Araújo, esta proposta que é um exemplo de lei que aponta para a efetivação de políticas públicas em relação ao nossos recursos hídricos”, lembrou Goura, que destacou que há outras iniciativas legislativas com relação à água aprovadas e em tramitação na Casa.

No discurso, o deputado foi incisivo ao dizer que o Executivo tem que fazer mais para proteger e recuperar os recursos hídricos do estado. Segundo ele, a água é central na Geopolítica, nas Relações Internacionais e muito mais nas questões locais e regionais e é preciso estabelecer uma visão crítica sobre o tema.

“O Paraná, apesar de se dizer o estado mais sustentável das galáxias, que é o estado mais sustentável do mundo, tem o Rio Iguaçu que é o segundo mais poluído do Brasil, segundo o IBGE. Temos que avançar muito no saneamento para reverter esse cenário”, disse.

Goura também falou sobre outros temas relacionados diretamente com a questão da água, como uso indiscriminado dos agrotóxicos e a proliferação desenfreada das barragens nos rios do Paraná, as Pequenas Centrais Hidrelétricas (PCHs). “Temos que avançar na proteção do meio ambiente, da água, e das pessoas.”

Confira a íntegra do pronunciamento: