Mandato Goura

“O desenvolvimento econômico do Litoral do Paraná deve conciliar justiça social e preservação do meio ambiente”, diz Goura

Durante a abertura do 5º Workshop de Gerenciamento Costeiro, nesta terça-feira (8), Dia Mundial do Oceano, o deputado estadual Goura (PDT-PR) chamou a atenção dos participantes dizendo que o desenvolvimento do Litoral Paranaense tem que conciliar justiça social com preservação ambiental e que para isso é preciso ter apoio no tripé ciência, controle e participação social.

 

“Enquanto se discutem projetos milionários, como a engorda da praia de Matinhos, a gente tem comunidades, como a de Taquanduva (Guaraqueçaba) e outras, onde você não tem saneamento. Onde as crianças estão passando por surtos de doenças. Falta de água potável em muitas comunidades”, disse. E alertou: “Ou seja, é importante que a gente olhe com muito mais atenção para as prioridades do nosso litoral.”

 

Assista ao vídeo com a fala do deputado Goura na abertura do evento:

O 5º Workshop de Gerenciamento Costeiro foi promovido de forma virtual pelo Ministério Público do Paraná (MP-PR), por meio núcleo de Paranaguá do Grupo de Atuação Especializada em Meio Ambiente, Habitação e Urbanismo (Gaema), e pelo Centro de Estudo do Mar (CEM) da Universidade Federal do Paraná (UFPR), com apoio da MARIS – Empresa Júnior de Oceanografia, que é administrada por alunos do curso de Oceanografia.

 

O principal tema do evento foi o problema ambiental da erosão costeira, com destaque para o debate sobre as “Intervenções nos terrenos de marinha em linha de costa: orientações técnico-científicas, base normativa e prevenção de impactos aos usuários diretos”.

 

Confira abaixo o vídeo com a íntegra do evento:

Ciência e política

 

O deputado Goura disse que o Poder Executivo deve pensar as políticas para o Litoral Paranaense a partir de diretrizes científicas. “A ciência deve ser o parâmetro norteador das políticas para o litoral. É preciso reconhecer as especificidades dos sete municípios, que têm fragilidades ecológicas e sociais”, destacou.

 

“Não podemos pensar em desenvolvimento econômico sem contemplar a justiça social com a preservação do meio ambiente. Essas duas coisas têm que caminhar juntas e a ciência deve nortear as ações que envolvem grandes obras”, afirmou Goura.

 

Controle social

 

Para o deputado, a participação das pessoas, das comunidades tradicionais, como a caiçara, indígena e quilombolas, deve ser garantida nas definições das políticas e na definição de obras, especialmente as grandes. “Todos precisam ter voz ativa. Exercer o controle social”, disse.

 

Participação

 

Goura foi crítico ao cobrar que o governo estadual precisa sair do discurso em relação à preservação ambiental. “O Executivo precisa ter uma ação mais efetiva. Tem que ter preocupação com as grandes obras e levar em conta este tripé da ciência, do controle social e da participação.

 

“Diante de todas as mudanças causadas pela crise climática temos que ter uma radical preservação do meio ambiente. Está no texto constitucional, o poder público tem que garantir o direito de termos um meio ambiente equilibrado, além de defendê-lo e preservá-lo”, completou Goura. Ao concluir, o deputado colocou a Comissão de Ecologia, Meio Ambiente e Proteção aos Animais da Assembleia Legislativa, da qual é o presidente, à disposição dos representantes de todas as entidades presentes no evento.

Facebook
Twitter
LinkedIn
WhatsApp

Get Curated Post Updates!

Sign up for my newsletter to see new photos, tips, and blog posts.

Subscribe to My Newsletter

Subscribe to my weekly newsletter. I don’t send any spam email ever!

Pular para o conteúdo