Mandato Goura

Parlamentares, entidades e instituições se unem por ambulantes no Carnaval de Curitiba

Parlamentares, representantes de entidades e instituições se reuniram, nesta terça-feira (6), com o procurador-geral de Justiça, Gilberto Giacoia, e demais membros do Ministério Público do Paraná (MPPR) para discutir medidas que possam garantir, junto à Prefeitura de Curitiba, o direito de atuação de vendedores e vendedoras ambulantes em eventos culturais realizados na capital paranaense.

 

O deputado estadual Goura (PDT) vem acompanhando a luta da Frente de Defesa dos Ambulantes Livres, que desde o início de 2024 vem buscando junto à prefeitura a realização de cadastramento da categoria para que, assim como ocorre na maioria das capitais brasileiras e grandes cidades, possam trabalhar durante o carnaval de forma regularizada.

 

“A prefeitura foi incapaz de ouvir e dar uma resposta para as demandas desses trabalhadores e trabalhadoras que desenvolvem uma atividade de grande potencial econômico para a cidade. É preciso pensar uma política permanente que garanta a regularização dessa atividade”, afirmou Goura.

 

O deputado destacou ainda que a prefeitura pode inclusive arrecadar recursos com a regularização, uma vez que os ambulantes nunca se negaram a pagar uma taxa para poder exercer a atividade com segurança e dignidade.

 

Curitiba na contramão

 

Integrante da Frente Ambulantes Livres, Elizete Pinto dos Santos, conhecida como Bete, citou exemplos de várias capitais, como São Paulo, Florianópolis, Rio de Janeiro e Belo Horizonte e mesmo Matinhos, no Litoral Paranaense, que conseguiram regulamentar a atividade com cadastramento prévio e apoio para que o trabalho seja executado em segurança e com dignidade.

 

“Aqui é muita humilhação que a gente sofre com a truculência da Guarda Municipal e dos fiscais. Sem contar a apreensão da nossa mercadoria e dos nossos instrumentos de trabalho. Somos chamados de arruaceiros e clandestinos. Mas os próprios comerciantes apoiam os ambulantes porque sabem que eles não dão conta de atender todo mundo”, relatou Bete.

 

Representação

 

O promotor de Justiça, Odoné Serrano Junior, que atua no Centro de Apoio às Promotorias de Justiça (Caop), ouviu todos os relatos e sugeriu que o MP, a exemplo do que ocorreu em 2020, faça uma representação à Prefeitura de Curitiba para garantir a atuação dos ambulantes no carnaval.

 

Ele reforçou a sugestão do deputado Goura que é necessário pensar em políticas públicas permanentes que garantam condições de trabalho com dignidade e segurança para essa categoria.

 

O vereador Ângelo Vanhoni (PT), também destacou o trabalho que vem sendo feito na Câmara Municipal para regularizar a situação desses trabalhadores e trabalhadoras, uma vez que o principal entrave é a falta de uma legislação específica que regulamente o serviço.

 

Após a reunião, parlamentares e representantes das entidades e movimentos ligados à causa encaminharam ofício ao Ministério Público do Paraná solicitando providências nos casos de violação de direitos humanos dos trabalhadores e das trabalhadoras ambulantes.

 

Veja a íntegra do ofício aqui.

 

 

Demais participantes

 

Também participaram da reunião o procurador Olympio de Sá Sotto Maior, a subcorregedora-geral do MP,  Jacqueline Batisti, a defensora pública, Karollyne Nascimento, a advogada Valéria Fiori, do Instituto Democracia Popular (IDP), Igor Wohl, da Frente de Defesa dos Ambulantes Livres, e representantes dos mandatos das vereadoras Josete e Giorgia Prates, ambas do PT.

Facebook
Twitter
LinkedIn
WhatsApp

Get Curated Post Updates!

Sign up for my newsletter to see new photos, tips, and blog posts.

Subscribe to My Newsletter

Subscribe to my weekly newsletter. I don’t send any spam email ever!

Pular para o conteúdo