“Se eu dissesse para vocês que os acidentes de trânsito caíram muito. Isso seria, eu creio, no entendimento de todos, uma ótima notícia”, provocou o deputado Goura (PDT-PR), ao iniciar a sua fala sobre o Maio Amarelo, na sessão remota, nesta terça-feira (19), da Assembleia Legislativa.

Na sequência, ele denunciou a fala do ex-ministro da Saúde, Ricardo Barros (PP-PR), que disse, em entrevista à CNN Brasil, que o isolamento social é ruim para o lucro dos hospitais pois causa a diminuição no número de acidentes de trânsito e estaria provocando uma crise econômica no sistema hospitalar.

Confira, abaixo, o vídeo com a fala do deputado:

Sangue derramado

“Dizer que os acidentes de trânsito são motivo de faturamento para o lucro dos hospitais seria admitir uma lógica perversa na qual o sistema de saúde precisaria de sangue derramado para continuar funcionando”, criticou Goura.

O deputado destacou que a fala do ex-ministro fica ainda mais absurda se lembrarmos que estamos no mês da campanha do Maio Amarelo, que tem como objetivo chamar a atenção da sociedade para o alto índice de mortes e feridos no trânsito no Brasil e no mundo.

Leia a matéria, clicando na foto abaixo, com os dados do Conselho Federal de medicina (CFM) sobre os impactos dos acidentes no SUS:

“Quero crer que a fala do ex-ministro foi equivocada e que esta não é a perspectiva dos gestores do sistema hospitalar privado”, avaliou Goura. “É verdade que os acidentes diminuíram durante a pandemia porque as pessoas deixaram de circular. Mas o Maio Amarelo está aí para reafirmar que precisamos de políticas públicas para reduzir as mortes e os ferimentos causados pelas fatalidades no trânsito.”

Em meio à pandemia

Em meio à crise sanitária causada pela epidemia do novo coronavírus, que causa a doença covid-19, falar sobre morte e suas causas pode criar certa comoção e até mesmo incomodo para muitas pessoas.

Mas o tema é inevitável em um cenário que mostra que o vírus já contaminou mais de 5 milhões e matou mais de 300 mil pessoas no mundo, sendo que no Brasil são 291.579 infectados e 18.859 mortes. (Dados de 20 de maio de 2020).

Clique na imagem abaixo e confira a matéria sobre a pandemia da covid-19:

Não faltam falsas polêmicas, levantadas pelos negacionistas da gravidade da crise do coronavírus, que querem comparar os dados de mortes por covid-19 aos de outras doenças, e até mesmo com causas externas como crimes violentos e acidentes de trânsito.

“Não cabe qualquer comparação entre mortes causadas por uma doença infecciosa, no caso a covid-19, e aquelas derivadas de causas externas, como é o caso dos acidentes de trânsito”, alertou Goura.

Leia a matéria sobre a relação entre causas de morte e o coronavírus, clicando na foto, abaixo:

“A pandemia do coronavírus é uma circunstância inédita, ainda se investigam as suas causas e os tratamentos. Já os acidentes de trânsito, não. Sabemos as causas e sabemos o que fazer para reduzi-los”, disse.

Morte Zero no Trânsito

“As autoridades públicas, as organizações não governamentais e as entidades da sociedade civil trabalham no mundo todo, inclusive no Brasil, para a redução das fatalidades no trânsito. O objetivo é ter morte zero no trânsito. Não é uma utopia, nós podemos conseguir isso”, disse Goura.

São 40.721 vítimas em 2019, segundo relatório anual da Seguradora Líder, administradora do seguro DPVAT. “É um cenário devastador. A cada 15 minutos uma pessoa morre em um acidente de trânsito no Brasil. E isso pode ser evitado”, afirmou Goura. No Paraná, segundo a pesquisa, foram 2.629 mortes em 2019.

Acesse os dados do DPVAT sobre acidentes de trânsito de 2019 clicando na imagem abaixo:

Divulgação dos dados

Por falar em estatísticas, o deputado Goura cobrou também a falta de divulgação dos números do Programa Vida no Trânsito (PVT) que sempre acontece durante a campanha do Maio Amarelo. Este ano, o Departamento Nacional de Trânsito (Denatran) decidiu focar a campanha do Maio Amarelo nos meios digitais, deixando as ações presenciais para setembro.

“Um dos objetivos do Maio Amarelo é chamar a atenção da sociedade para o alto índice de mortes e feridos no trânsito no Brasil e no mundo, mas até o momento não temos a divulgação dos dados, que acontece sempre no mês de maio desde 2010”, informou Goura. “Mesmo a pandemia não justifica a não divulgação das estatísticas.”

Confira a matéria, clicando na foto abaixo, sobre a audiência pública realizada no ano passado e promovida pelo deputado Goura. Nela estão as estatísiticas do PVT 2019:

O deputado disse que estas estatísticas são fundamentais. E que a Secretaria da Saúde do Paraná (Sesa), responsável pelos dados de mortalidade no Paraná, integra o PVT desde o seu início. “Por que a Secretaria de Saúde do Paraná e as prefeituras que fazem parte do PVT não divulgam os dados de 2020?”, questionou.

Morte de ciclistas

“Nós perguntamos quais são os números do PVT de 2020, que analisam os dados de 2019 em comparação aos de 2018. As mortes caíram? O número de ciclistas mortos aumentou novamente? O PVT de 2019 mostrou aumento de 54% de mortes de ciclistas, de 98 para 151, de um ano para outro.”

Programa Vida no Trânsito

Desde 2010, o Brasil participa do Projeto “RS10” da OMS, que no Brasil se chama “Programa Vida Trânsito” (PVT), que também integra o movimento internacional Maio Amarelo. O PVT divulga desde então os dados sobre as mortes e ferimentos no trânsito dos municípios participantes.

O Paraná é referência nacional, com o envolvimento de 12 municípios: Curitiba, Foz do Iguaçu, São José dos Pinhais, Campo Mourão, Cascavel, Francisco Beltrão, Londrina, Maringá, Paranaguá, Paranavaí, Ponta Grossa e Toledo.

Em 11 de maio de 2011, a ONU decretou a Década de Ação para Segurança no Trânsito. Com isso, o mês de maio se tornou referência mundial para balanço das ações que o mundo inteiro realiza nesta época. Informação é fundamental.

Clique na imagem abaixo e confira um resumo dos dados do PVT 2019:

Se nada for feito, a OMS estima que 1,9 milhão de pessoas devem morrer no trânsito em 2020 e 2,4 milhões, em 2030. Nesse período, entre 20 milhões e 50 milhões de pessoas sobreviverão com traumatismos e ferimentos.

Campanha do mandato

O Mandato Goura está divulgando informações sobre o maio Amarelo em suas redes sociais para alertar para as questões relacionadas ao problema das mortes e feridos no tr6ansito no Brasil.

“Defendemos a morte zero no trânsito e temos feito diversas ações em prol da segurança no trânsito, pela mobilidade ativa, voltada para o incentivo ao uso da bicicleta, mesmo durante a pandemia, pois esta é a melhor forma de se deslocar atualmente. De bicicleta a pessoa não impacta no serviço de transporte coletivo, que é um dos locais de contaminação”, explicou.

Mais alguns dados sobre a quase epidemia de mortes no trânsito no mundo, segundo a Organização Pan-Americana da Saúde (OPAS):

  • Cerca de 1,35 milhão de pessoas morrem a cada ano em decorrência de acidentes no trânsito;
  • A Agenda 2030 para o Desenvolvimento Sustentável fixou uma meta ambiciosa quanto à segurança no trânsito, que consiste em reduzir pela metade, até 2020, o número de mortos e feridos por acidentes de trânsito em todo o mundo;
  • Os acidentes de trânsito custam à maioria dos países 3% de seu produto interno bruto (PIB);
  • Mais da metade de todas as mortes no trânsito ocorre entre usuários vulneráveis das vias: pedestres, ciclistas e motociclistas;
  • 93% das mortes no trânsito ocorrem em países de baixa e média renda, embora estes concentrem aproximadamente 60% dos veículos do mundo;
  • As lesões ocorridas no trânsito são a principal causa de morte entre crianças e jovens de 5 a 29 anos.