Foram três as principais pautas que nortearam a conversa, que reuniu parlamentares de diversos partidos de esquerda das assembleias estaduais e do Congresso Nacional, no tradicional “Café da Manhã do MST Com as/os Parlamentares”, na manhã desta segunda-feira (29), que aconteceu pela segunda vez de forma on-line desde o início da pandemia da Covid-19: defesa do auxílio emergencial de R$ 600; vacina para todos/as e #ForaBolsonaro.

 

“É muito importante que nós parlamentares e os partidos, junto aos movimentos sociais como o MST, tenhamos uma postura de construção de uma frente contra o autoritarismo, em defesa da democracia e dos direitos dos trabalhadores, que são os mais afetados pela crise da Covid-19”, comentou o deputado estadual Goura (PDT), sobre a sua primeira participação no evento.

 

Pela justiça, pela vida, pelo direito à terra e à alimentação!

 

Ele também reafirmou os compromissos do Mandato Goura com a luta pela justiça no campo; pela valorização da agricultura familiar e da agroecologia; na defesa dos assentamentos e da reforma agraria. “Como presidente da Comissão de Meio Ambiente da Assembleia Legislativa do Paraná estamos atentos às demandas e às diretrizes do MST na articulação das lutas do povo do campo”, disse Goura.

PDT apoia luta a favor do #ForaBolsonaro

 

O deputado federal do PDT de Pernambuco, Túlio Gadêlha, lembrou aos participantes do Café da Manhã com o MST, do convite que recebeu do MST de seu estado para conhecer o projeto Mãos Solidárias. “Recebi o convite do MST e fui conhecer de perto essa cadeia de solidariedade que tem feito a diferença na vida de muita gente. A fome voltou e a agricultura familiar dos assentamentos está fazendo a diferença ao ajudar milhares de famílias nas ruas e nas periferias”, disse.

 

Gadêlha também defendeu a importância dos partidos de esquerda em manter unida a luta contra os desmandos do governo Bolsonaro, que tem feito uma gestão desastrosa no combate à pandemia da Covid-19 no país. “O presidente da República é o responsável direto por inúmeras vidas perdidas. Por promover uma política negacionista e irresponsável colocando milhares em risco de morte. Os partidos como o PDT, Psol, PT, PSB e outros têm que lutar pelo #ForaBolsonaro. Temos que ter o impeachment já.”, declarou.

 

O dirigente nacional do MST, João Pedro Stédile, fez uma análise da conjuntura atual e reafirmou que os partidos devem unir forças para derrotar Bolsonaro e seus aliados. “A burguesia já está hesitando em manter o apoio. Não é só no combate à pandemia que o governo Bolsonaro erra. Na economia a tragédia é ainda pior. Com essa atual política de governo só se salvam as 400 maiores empresas. Todas as outras vão pagar caro pelos desmandos desse governo”, avaliou Stédile.

 

Café da manhã histórico

 

O “Café da Manhã do MST Com as/os Parlamentares” começou a acontecer no início de 2012, em Brasília, e reunia parlamentares de diversos partidos para debater temas específicos da pauta de lutas do movimento. Desde o início da pandemia, em maio, passou a ser realizado de forma virtual. Nesta edição de 29 de março mais de 175 pessoas estavam no evento on-line. Os deputados do PTdo Paraná Tadeu Veneri, Enio Verri e Professor Lemos também participaram deste café da manhã.