Região dos Campos Gerais ganha lei de incentivo ao cicloturismo

Foto: Lobi Cicloturismo

Conhecida pelas paisagens exuberantes da Escarpa Devoniana, que incluem o icônico Parque Estadual de Vila Velha e o ainda pouco conhecido Parque Nacional dos Campos Gerais, que tem o mítico Buraco do Padre, a Região dos Campos Gerais ganhou mais um instrumento de fomento à exploração sustentável do turismo local.

É a nova lei que foi aprovada, em segunda discussão, nesta terça-feira (4), na Assembleia Legislativa do Paraná, a partir do projeto de lei n° 160/2019, dos deputados Goura (PDT) e Mabel Canto (PSC), que institui Circuito Cicloturístico dos Campos Gerais. O objetivo da lei é incentivar o uso da bicicleta e o turismo ecológico.

Integram o Circuito os municípios de Arapoti, Carambeí, Castro, Curiúva, Imbaú, Ipiranga, Ivaí, Jaguariaíva, Ortigueira, Palmeira, Piraí do Sul, Ponta Grossa, Porto Amazonas, Reserva, São João do Triunfo, Sengés, Telêmaco Borba, Tibagi e Ventania.

Este slideshow necessita de JavaScript.

Turismo sustentável

“A aprovação da lei vai movimentar o turismo e dar aos municípios dos Campos Gerais mais uma nova alternativa para o desenvolvimento sustentável e fomentar a economia local. A lei vai permitir às prefeituras estabelecer as principais atrações e criar rotas que darão mais segurança e tranquilidade aos cicloturistas”, disse o deputado Goura.

Confira, clicando na imagem abaixo, a íntegra da lei do Cicloturismo dos Campos Gerais:

Belezas naturais

A deputada Mabel Canto, também autora da lei, destacou que a lei vai fomentar ainda mais o turismo na região. “A prática do ciclismo tem crescido muito, o que não é diferente nos Campos Gerais, até porque muitos ciclistas percorrem nossas belezas naturais da região. Por isso, a importância em instituir esse circuito de forma oficial em nossa região”, disse ela.

Legislação incentiva

O deputado Goura explicou que uma lei específica de criação de circuitos de cicloturismo tem como objetivo incentivar o uso da bicicleta e o turismo ecológico. “É uma verdadeira opção de desenvolvimento equilibrado por meio de um turismo que está mais em harmonia com a natureza e que também promove saúde”, disse.

Foto: Lobi Cicloturismo

Paraná Turismo

O diretor Presidente da Paraná Turismo, autarquia estadual, vinculada à Secretaria de Estado do Desenvolvimento Sustentável e do Turismo (Sedest), João Jacob Mehl, também destacou a importância da aprovação da lei. “O cicloturismo é uma atividade que cresce em todo o mundo e atende a um apelo, em meio à crise provocada pela pandemia, de termos um turismo mais sustentável e que pode ser praticado de forma segura”, disse Mehl.

Outros circuitos são leis

A Assembleia Legislativa já aprovou três outros projetos que estabelecem os circuitos do Sudoeste, do Alto Iguaçu e do Litoral, que foram sancionadas como as leis Nº 20.068 de 2019, Nº 19.956 de 2019 e Nº 20.196 de 2019, respectivamente. Está ainda em tramitação o PL 256/19, que institui a Lei do Cicloturismo.