Publicado há 2 meses

O deputado estadual Goura (PDT) intermediou, durante a sessão plenária desta quarta-feira (4), na Assembleia Legislativa do Paraná, um encontro entre representantes do Sindicato dos Delegados de Polícia do Estado do Paraná (Sidepol) e o líder do Governo, deputado estadual Hussein Bakri (PSD), com o objetivo de agendar uma audiência entre os representantes sindicais e o governador Ratinho Jr para tratar de reivindicações da categoria.

 

“Antes, na manhã desta quarta-feira, estive reunido com a diretoria do Sidepol para saber sobre as ações dos representantes sindicais dos delegados e me avisaram que estariam nesta tarde na Assembleia. Por isso, aproveitei a oportunidade e pedi ao deputado Hussein que conversasse com eles”, contou Goura.

 

O líder do governador Ratinho Jr na Assembleia Legislativa ouviu atenciosamente os representantes do Sidepol e se comprometeu com a possibilidade de os sindicalistas terem um encontro com o governador. “Vamos empenhar todo o esforço para que o governador receba o Sidepol”, disse Hussein Bakri.

 

Reunião na sede do Sidepol.

 

Na reunião entre o deputado Goura e a diretoria do Sidepol, se destacou o pedido de abertura de uma CPI (Comissão Parlamentar de Inquérito) da Segurança Pública do Estado do Paraná, que teria como objetivo investigar e apurar responsabilidades de possíveis irregularidades e má gestão na área da segurança pública. A iniciativa foi encaminhada por ofício (confira aqui) pelo Sidepol ao deputado.

 

“Ouvimos com atenção a exposição de motivos dos delegados para procurarem os deputados estaduais com o pedido para que se instale uma CPI sobre a gestão da segurança pública no Paraná”, comentou Goura. Segundo ele, os delegados dizem que a segurança pública do Paraná está pedindo socorro.

 

Presidente do Sidepol

 

“Segundo o Sidepol, falta de pessoal em todos os cargos da polícia civil, com o agravante de que na função de delegado cerca de 50% dos cargos não estão ocupados. Isso implica que um delegado seja responsável por várias comarcas e tenha uma estrutura precária para a prestação de serviços à população”, explicou Goura.

 

O presidente do Sidepol, Antônio Simião, informou que o Paraná tem cerca de 350 delegados, o que representa uma defasagem de cerca de 50% no quadro geral de servidores. “Assim os delegados acumulam várias comarcas em sua jornada de trabalho. O último concurso para delegado foi em 2012, há praticamente dez anos. Investigador de polícia foi em 2009″, explicou.

 

Além do acúmulo de funções, o presidente do Sidepol disse que a permanência de pessoas presas nas delegacias, a infraestrutura precária, as perícias urgentes atrasadas e a defasagem salarial comprometem a prestação do serviço de segurança pública à população.

 

“Estamos no limite. Por isso, pedimos o apoio dos deputados para a instalação desta CPI sobre a segurança pública na Assembleia. Não somos recebidos nem pelo secretário da área e queremos uma reunião com o governador para tratar das nossas pautas”, reivindicou Simião.