Política e mobilidade é tema de palestra de Goura no Circuito Urbano 2019 na UFPR

“Como a inovação pode aprimorar serviços e políticas urbanas de maneira inclusiva e sustentável?”. Responder a esta questão foi o desafio enfrentado pelo deputado Goura ao falar no Painel de Políticas Públicas da edição do Circuito Urbano 2019: Curitiba, que aconteceu, nesta sexta-feira (25), no Setor de Ciências Sociais Aplicadas UFPR.

O tema geral do evento, que é realizado em parceria com o Programa das Nações Unidas para os Assentamentos Humanos (ONU-Habitat), foi “Cidades Inovadoras e Inclusivas”.

Pressão

“O mundo político só se move se tiver pressão. E digo isto por experiência própria e como político, que é como estou agora”, disse Goura, ao iniciar a sua fala e contar aos participantes como o seu ativismo em favor da bicicleta o levou à política.

“Foi a partir da pintura de uma ciclofaixa, na Rua Augusto Stresser, que chamamos de cidadã e que ficou conhecida como ciclofaixa pirata, que fizemos, em 2007, no Dia Mundial Sem Carro, que a cidade ganhou a primeira ciclofaixa oficial”, contou. “Fomos presos e multados [que foi revertido] e depois eu estava no gabinete do prefeito, que então era o Beto Richa”, completou.

Ele lembrou que logo depois o prefeito anunciou a instalação da ciclofaixa que existe na Avenida Marechal Floriano, o que só aconteceu em no final de 2011 “E até hoje, 12 anos depois ainda está incompleta. Vai só até a Linha Verde e não continua até o centro. Além de ser uma ciclofaixa com um projeto mal feito”, lembrou.

De baixo para cima

Goura citou outros exemplos do que ele chamou de “política de baixo para cima” e que a partir da mobilização da sociedade pressionou o poder público a tomar uma atitude. “Nas eleições municipais, em 2012, fizemos uma carta compromisso para os candidatos a prefeito assumissem a pauta da ciclomobilidade. Deste trabalho também surgiu o Conselho Paranaense de Ciclomobilidade (ConCiclo) e o plano cicloviário da cidade”, disse.

O deputado explicou que sua trajetória do ativismo à política se deu a partir de questionamentos sobre como tornar mais efetiva a luta pela ciclomobilidade. “Depois de discutir muito, acabei saindo candidato a deputado federal, em 2014. Não fui eleito, mas demos visibilidade para as pautas da bicicleta. Em 2016, fui eleito vereador e, em 2018, deputado estadual”.

“Na política continuamos a ter a bicicleta como uma das principais pautas e temos trabalhado para que a mobilidade ativa tenha políticas públicas em todos os seus aspectos, que vão desde as questões econômicas relacionadas até ao desenvolvimento do cicloturismo, por exemplo”, detalhou.

Goura citou como exemplos recentes as iniciativas de reativação do ConCiclo, os projetos de lei de cicloturismo e a indicação de verba para a ciclomobilidade em Curitiba no Programa Paraná Mais Cidades do Governo do Estado. “São R$ 1,2 milhão. Mais dinheiro que a Lei Orçamentária (LOA) de 2019 foi apenas R$ 1,085 milhão para esta área”, explicou.

Veja aqui as matérias do site do Mandato Goura relacionadas à bicicleta

Sobre o ONU -Habitat

O ONU-Habitat participa ativamente das agendas globais, como a Agenda 2030 para o Desenvolvimento Sustentável, estruturada em 17 Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS), e é responsável principalmente pelo ODS 11, que busca “tornar as cidades e os assentamentos humanos inclusivos, seguros, resilientes e sustentáveis”.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here